sexta-feira, 7 de outubro de 2011

em Maputo as empregadas domésticas aprendem ética


é vulgar para as famílias (nomeadamente de portugueses) terem uma ou duas empregadas em casa. isso é uma coisa que a mim não me assiste (tal como o Mercado do Peixe). faz-me confusão aquela coisa de chamar a empregada para trazer o café, quando se pode perfeitamente levantar o rabiosque do sofá e ir buscá-lo à cozinha. faz-me confusão que ainda haja aqui uma espécie de sublinhar da superioridade do branco sobre o negro.
mas por outro lado, ter uma empregada doméstica é criar mais um posto de trabalho. desde que a patroa ou o patrão não se esqueçam também da ética. se calhar deveriam ter umas aulinhas, também!

Sem comentários:

Enviar um comentário